sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Menandro (em grego Ménandros - c. 342 a.C. - 291 a.C.)

Menandro (em grego Ménandros - c. 342 a.C. - 291 a.C.) foi o principal autor da Comédia nova, última fase da evolução dramática ateniense, que exerceu profunda influência sobre os romanos Plauto e, sobretudo, Terêncio. Nasceu em Atenas, numa família abastada, recebeu educação bem cuidada e acredita-se que tenha sido pupilo de Teofrasto.

A primeira peça foi Orge (321 a.C.; Cólera), a que se seguiram mais de cem comédias, quase todas conhecidas apenas pelos títulos ou por fragmentos citados por outros autores antigos, dos quais os principais são: Os árbitros, A moça de Samos, A moça de cabelos cortados, O herói. A exceção é Dyskolos (O díscolo ou O misantropo), uma das oito peças premiadas, cujo texto completo, preservado num papiro egípcio, foi achado e publicado em 1958.

As condições políticas vigentes em Atenas na época de Menandro não mais permitiam a sátira às instituições e homens públicos, característica da comédia antiga. Assim, os temas principais da comédia de Menandro são viagens, disputas familiares e amores clandestinos. Os personagens são inspirados em pessoas comuns: cozinheiros, escravos, médicos, filósofos, adivinhos e militares.

Menandro desfrutava de grande valor e até o século V d.C era lido e comentado em todo o mundo antigo, do Egito aos confins ocidentais do Império romano, tanto por pagãos como por cristãos. É do famoso gramático Aristófanes de Bizâncio o epigrama: "Menandro e vida! Qual de vós imita o outro?"






Menandro
Encontrados 15 pensamentos de Menandro


Mais vale um bom amigo do que um tesouro que deixarias encher-se de bolor em qualquer buraco.


Os costumes daquele que não fala convencem-nos mais do que os seus raciocínios.



Como é agradável o homem, quando é homem.



Serve livremente e não serás servo.



O que é persuasivo é o caráter de quem fala e não a sua linguagem.


Sou um homem e errei; não há nada de surpreendente.



Feliz daquele que encontra um amigo digno desse nome.



Muitas vezes, o inacreditável vale para a multidão / mais do que o verdadeiro, e é mais acreditável.


A sensatez não convém em todas as ocasiões; às vezes é necessário ser um pouco louco com os loucos.



Para o corpo doente é necessário o médico, / para a alma, o amigo: / a palavra afectuosa sabe curar a dor.




Convive com os sábios e serás um deles.



Na adversidade o homem encontra a sua salvação na esperança.






O casamento, se queres saber a verdade, / é um mal, mas um mal necessário.



Mais InformaçãoMorre jovem quem é estimado pelo céu.

Menandro

Não vivemos como queremos, mas como sabemos.





CITAÇÕES

• Por Autores
• Por Temas


Menandro
Grécia Antiga, [-342--292],


O que é persuasivo é o carácter de quem fala e não a sua linguagem
Fonte: "Hymnis"
Tema: Comunicação

A sensatez não convém em todas as ocasiões; às vezes é necessário ser um pouco louco com os loucos
Fonte: "Os Leilões"
Tema: Loucura

Feliz daquele que encontra um amigo digno desse nome
Tema: Amigo

Mais vale um bom amigo do que um tesouro que deixarias encher-se de bolor em qualquer buraco
Tema: Amigo

Para o corpo doente é necessário o médico, / para a alma, o amigo: / a palavra afectuosa sabe curar a dor
Fonte: "Fragmentos"
Tema: Amizade

Sou um homem e errei; não há nada de surpreendente
Fonte: "Fanio"
Tema: Erro

A consciência é um Deus para todos os mortais
Fonte: "Versos Individuais"
Tema: Remorso

Serve livremente e não serás servo
Fonte: "Fragmentos"
Tema: Servidão

O casamento, se queres saber a verdade, / é um mal, mas um mal necessário
Fonte: "Fragmentos"
Tema: Casamento

Morre jovem quem é estimado pelo céu
Fonte: "A Dupla Brincadeira"
Tema: Morte

Não vivemos como queremos, mas como sabemos
Tema: Vida

Convive com os sábios e serás um deles
Tema: Companhia

Como é agradável o homem, quando é homem
Fonte: "Fragmentos"
Tema: Homem

Muitas vezes, o inacreditável vale para a multidão / mais do que o verdadeiro, e é mais acreditável
Fonte: "Fragmentos"
Tema: Crença

Os costumes daquele que não fala convencem-nos mais do que os seus raciocínios
Tema: Costumes

Na adversidade o homem encontra a sua salvação na esperança
Tema: Adversidade

O homem que foge pode combater outra vez
Tema: Prudência

A educação é uma possessão que ninguém nos pode roubar
Tema: Educação

A riqueza é uma capa que cobre uma multidão de pecados
Tema: Riqueza

O sono é um bálsamo curador para todos os males


O tempo é a pedra de toque que prova o carácter dos homens
Tema: Tempo

Pensa sem cessar que és homem, isto é, o vivente mais sujeito aos caprichos da sorte
Tema: Homem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário